Início  /  REDE DE CUSTÓDIA  /  PERGUNTAS FREQUENTES
PERGUNTAS FREQUENTES

Qual a origem da Rede de Custódia?

Atualmente, a Custódia de Natureza é usada mundialmente como uma ferramenta de conservação e gestão da natureza e da biodiversidade, promovendo a ideia de que a natureza e a conservação da biodiversidade são compatíveis com a atividade humana, e pode ser fomentada através do envolvimento das pessoas que trabalham e conhecem a paisagem na sua conservação. Trata-se de uma estratégia que envolve proprietários e utilizadores da terra na sua conservação, através do apoio e intervenção de um vasto conjunto de particulares e grupos da sociedade civil.

Na base da Custódia de Natureza está o princípio de corresponsabilidade na gestão dos recursos naturais: valores como “cuidar”, “respeitar”, “partilhar”, “envolvimento” e “compromisso” tornam a Custódia de Natureza uma estratégia inovadora e útil para auxiliar a conservação e gestão da terra através do envolvimento das partes interessadas. A sua implementação realiza-se através do estabelecimento de acordos voluntários entre os utilizadores/proprietários e as entidades de custódia, com vista à manutenção e restauro dos valores naturais.

Qual o objetivo da Rede de Custódia?

A Rede de Custódia para a conservação da águia-imperial-ibérica em Portugal visa promover e reforçar a compatibilidade e harmonia entre o desenvolvimento das atividades socioeconómicas e culturais com a conservação da águia-imperial. Esta iniciativa contribuirá para mudar comportamentos de algumas partes interessadas, tornando-os partes ativas da conservação da espécie e do seu habitat, mudando a sua opinião sobre esta águia poder ser “prejudicial” para as suas atividades e aumentando a sua responsabilidade ambiental.

Quem pode aderir à Rede de Custódia?

Os aderentes à Rede de Custódia serão quaisquer pessoas e grupos interessados em colaborar na conservação da águia-imperial, sendo de particular importância a participação de indivíduos e entidades cuja atividade socioeconómica se insira na área de intervenção do Projeto – correspondente às ZPE com as principais áreas de ocorrência da espécie – de modo a potenciar a compatibilização da sua atividade com a preservação da espécie e do seu habitat.

Todos os colaboradores da Rede de Custódia serão de elevada importância para o desenvolvimento dos compromissos propostos, tornando-se promotores da conservação da águia-imperial e reconhecendo ser uma mais-valia para a aplicação e transmissão de atitudes pró-ativas pela natureza.

Como posso aderir à Rede de Custódia?

Através do preenchimento do formulário de adesão.

O que posso fazer enquanto membro da Rede de Custódia?

Os membros da Rede de Custódia podem organizar eventos, fazer ações de voluntariado, angariar fundos, distribuir o material de divulgação, adotar medidas de gestão favoráveis à preservação da espécie, promover a águia-imperial nas redes sociais, ou qualquer outra atividade que permita cumprir o objetivo de divulgação e conservação da espécie e do seu habitat.

A adesão à Rede de Custódia é obrigatória?

Não. A adesão à Rede de Custódia para a conservação da águia-imperial-ibérica em Portugal é de cariz estritamente voluntário.

A adesão à Rede de Custódia é paga?

Não. A adesão à Rede de Custódia para a conservação da águia-imperial-ibérica em Portugal é gratuita.

Como se formaliza a adesão à Rede de Custódia?

Através da realização de uma Carta de Compromissos, redigida e assinada, que estabelece as bases de ação para o contributo do futuro membro para a Rede de Custódia.

Posso aderir à Rede de Custódia sem assinar um Acordo de Custódia ou Carta de Adesão?

A adesão à Rede de Custódia é formalizada através da assinatura da Carta de Compromissos, que estipula os compromissos e serviços para ambas as partes. Por outro lado, este documento é um comprovativo da veracidade da adesão de cada um dos membros, pelo que a sua assinatura será essencial.

Qual a duração da adesão à Rede de Custódia?

A adesão à Rede de Custódia para a conservação da águia-imperial-ibérica em Portugal vigora ininterrupta e vitaliciamente desde a data de assinatura da Carta de Compromissos, podendo no entanto ser interrompida por qualquer uma das partes através de comunicação à outra parte.

Quais os compromissos dos membros da Rede de Custódia?

Cada membro estabelece com a Rede de Custódia os seus compromissos, que podem incluir:

  • Colaborar na sensibilização ambiental e disseminação de Boas Práticas relacionadas com a conservação da águia-imperial e da Natureza no geral;
  • Distribuir gratuitamente o material de divulgação entregue para esse efeito;
  • Incluir a conservação da águia-imperial nos modelos de gestão das suas atividades e/ou propriedades de modo a torná-los compatíveis com a preservação desta espécie;
  • Fomentar a adoção destes comportamentos junto de terceiros;
  • Apoiar a realização do Projeto LIFE Imperial e de outros projetos que visem a conservação desta espécie e do seu habitat;
  • Manter atualizada a sua informação de contato na Rede de Custódia, tal como morada, email e telefone.

 

No caso de instituições e empresas:

  • Fornecer o seu logotipo e contacto para divulgação na página de internet do Projeto LIFE Imperial;
  • Receber e expor em local visível os materiais de sensibilização do Projeto que lhe sejam atribuídos para esse efeito.


O que é que a Rede disponibiliza aos aderentes?

  • Um meio agregador de pessoas que pretendem ativamente contribuir para a conservação da espécie;
  • Informação e assessoria técnica na definição de modelos de gestão compatíveis com a conservação da águia-imperial;
  • Recompensa/reconhecimento dos agentes com os valores custodiados pelos serviços ambientais prestados, em particular nas áreas sob maior risco socio-ambiental;
  • Utilização do “selo” digital que permitirá a divulgação online da adesão à Rede de Custódia pelas entidades e particulares;
  • Fórum de intercâmbio de experiências, ideias e procura de soluções para problemáticas comuns;
  • Atividades de sensibilização e divulgação ambiental para grupos-chave ou população em geral;
  • Fornecimento de materiais divulgativos produzidos no âmbito da Rede de Custódia e projetos como o Projeto LIFE Imperial para exposição ou distribuição gratuita.